Livros, Filmes e Nerdices aleatórias

Arquivo da tag: J.K. Rowling

JimKayIlustracoesHarryPotte-ColorindoNuvens
Sempre que surge uma novidade sobre Harry Potter faço questão de compartilhar aqui no blog. A saga do bruxinho é simplesmente, a minha favorita e procuro sempre estar por dentro de qualquer notícia que envolva esse universo mágico.

No final de Novembro fiquei extremamente feliz de ter ganhado de presente O Livro das Criaturas de Harry Potter e apesar de ainda estar devendo o review, mostrei nesse post aqui algumas das artes conceituais que fazem parte dessa publicação.

Hoje, as ilustrações ficam por conta de Jim Kay que será o responsável por ilustrar as novas edições comemorativas da saga do bruxinho com previsão de lançamento para 2015 nos Estados Unidos e Inglaterra. Já em terras brasileiras a nova edição só chegará em 2016 pela editora Rocco.

Eu achei bem bacana os traços e o estilo do artista e essa nova versão do Harry Potter está extremamente simpática. Além do protagonista ainda podemos conferir Hermione, Rony, Hagrid, Malfoy e uma bela imagem do castelo de Hogwarts.

Os livros estão programados para serem lançados anualmente. Muito bacana essa imagens iniciais, né? Dá até pra relembrar algumas passagens dessa história!

JimKayIlustracoesHarryPotte-ColorindoNuvens

JimKayIlustracoesHarryPotte-ColorindoNuvens

JimKayIlustracoesHarryPotte-ColorindoNuvens

JimKayIlustracoesHarryPotte-ColorindoNuvens

JimKayIlustracoesHarryPotte-ColorindoNuvens

JimKayIlustracoesHarryPotte-ColorindoNuvens


Harry potter concept art

Harry Potter é a minha série de livros favorita e qualquer novidade sobre o assunto, já é motivo de grande expectativa.

Eu tenho uma lista de produtos que quero comprar relacionado à saga do bruxinho e se você também é um desses fãs, não irá resistir a essa novidade.

Harry Potter: The Creature Vault é um livro de arte lançado pela editora Harper Collins que mostrará as concept arts de diversos monstros e criaturas que habitam o universo encantado criado por J.K. Rowling.

Pelo vídeo de divulgação podemos perceber que o livro é bem interativo com partes destacadas, páginas extras e outros detalhes bem legais. Pelo menos em termos de estrutura, acredito que The Creature Vault será semelhante ao Harry Potter e a Magia do Cinema que é muuuito legal, um verdadeiro item de colecionador! Estou devendo um post sobre ele aqui no blog!

As imagens reveladas mostram a criação de diversas criaturas como os sereianos, dementadores, trestrálios e até mesmo do Bicusso, Nagini, Aragog e Pedro Pettigrew.

Se você pode e está disposto a desembolsar $45 pelo item clique aqui e acesse o site da editora, eles enviam para Brasil! Por enquanto vou ficar só na vontade mesmo, rs!

harry potter the creature vault concept art thestral

harry Potter the creature vault concept art hipogrifo

harry Potter the creature vault concept art aragog

harry Potter the creature vault concept art inferii

harry Potter the creature vault concept art dementador

harry Potter the creature vault concept art elfo-domestico

harry Potter the creature vault concept art sereia

harry Potter the creature vault concept art hungarian-horntail

Trailer de divulgação!


Harry Potter - Capa jonny duddle

A Editora Bloomsbury divulgou as novas capas dos sete livros da saga Harry Potter. Apesar de não ser a favor da continuidade da história do bruxinho, fico muito empolgada quando sai alguma novidade sobre o assunto e hoje venho mostrar para vocês as bonitas artes realizadas para essa nova edição.

As “Jaquetas” dos livros, que é a capa de papel que envolve a capa dura, foram ilustradas pelo artista Jonny Duddle que já trabalhou no design dos personagens da animação Wallace e os vegetais e recebeu algumas premiações ao longo de sua carreira.

Para definir as cenas estampadas em cada capa e escolher os momentos mais marcantes de toda narrativa, Duddle contou com a ajuda da própria J.K. Rowling, o grande desafio, segundo o artista, era a responsabilidade de realizar ilustrações que realmente traduzissem a essência dos personagens e do universo criado pela autora.

A nova versão dos livros será publicada no Reino Unido no dia primeiro de Setembro. Acho bem interessante observar a releitura de personagens famosos nas mãos de diferentes artistas. Nesse post aqui eu já tinha mostrado para vocês outra versão das capas dos livros pelas mãos de Kazu Kibuishi, ambos os trabalhos são bem interessantes embora seja um pouquinho difícil superar a minha preferencia pelas capas originais, justamente pelo grande apelo emocional e nostalgia que as ilustrações me trazem.

Abaixo a capa dos sete livros da saga! 😉

Harry Potter - Capa jonny duddle

Harry Potter - Capa jonny duddle

Harry Potter - Capa jonny duddle

Harry Potter - Capa jonny duddle

Harry Potter - Capa jonny duddle

capa harry Potter 7 Harry Potter - Capa jonny duddle


Copa Mundial Quadribol

Harry Potter é a minha série de livros favorita (desde sempre). Comecei a acompanhar a história do bruxinho em 2002 e até hoje me considero uma boa e velha Pottermaníaca.

Recentemente o Pottermore, site criado por J.K. Rowling, divulgou uma nova história sobre os personagens que narra o reencontro de Harry, Rony e Hermione, com seus outros amigos de Hogwarts durante o campeonato mundial de Quadribol. O conto (leia o texto completo traduzido aqui!) foi feito no formato de um artigo escrito pela Rita Skeeter e sua irritante pena mágica para o profeta diário, no qual, ela descreve com seu habitual tom maldoso, como Harry Potter está, prestes a completar 34 anos.

Além da cicatriz em formato de raio que se tornou a sua marca, o agora então, Auror possui outra cicatriz na parte inferior da bochecha fruto, de um trabalho secreto no departamento de Aurores.

A história ainda revela os destinos de Rony, agora gerente das gemialidades Wesley após ter passado uma temporada no ministério da magia e Hermione, que ocupa um alto cargo no Departamento de Execução das leis da magia.

Para mim, assim como foi o prólogo de Harry Potter e as Relíquias da Morte, imaginar os personagens que viveram tantas aventuras incríveis, se tornando adultos, tendo filhos e casando-se, é uma coisa totalmente estranha e desnecessária, mas ou por uma questão de vaidade ou pela ambição de explorar a mina de ouro até que ela se esgote completamente, muitos autores não conseguem se libertar de seus personagens e acabam desgastando a sua imagem, prolongando uma história que já chegou ao fim.

Concordo que o universo criado por Rowling é imenso e ainda pode render bons frutos, porém, será um grande desafio promover o rompimento da Saga Harry Potter com suas futuras obras. Em 2013 a autora anunciou estar escrevendo o roteiro para uma série de filmes ambientados no mundo dos bruxinhos.

O primeiro “Animais Fantásticos e Onde Habitam” tem previsão de lançamento somente para 2016 e contará a história do escritor fictício Newt Scamander. Agora só esperar como Rowling irá se sair como produtora e torcer para que ela não desaponte os antigos e novos fãs de seu Best Seller.


capasHarryPotter-ColorindoNuvens

Em primeiro de setembro será comemorado o aniversário de 15 anos do lançamento do primeiro livro da Saga Harry Potter nos Estados Unidos, para celebrar a data a editora Scholastic irá relançar todos os sete livros da série, numa edição comemorativa que contará com as novas capas produzidas pelo escritor e ilustrador Kazu Kibuishi.

O artista conseguiu dar um ar bem mais sóbrio as capas que apesar de conterem desenhos mais adultos, continuam transmitindo toda essência dos livros, relatando seus principais acontecimentos. Em entrevista para editora, ele revela como encarou o peso da responsabilidade de fazer as novas versões das capas de uma das séries de livros mais vendidas da história. Segundo suas declarações, a ilustração mais trabalhosa foi a capa referente a “Harry Potter e a Câmara Secreta” que teve nada menos que 60 versões, antes do artista resolver iniciar tudo novamente do zero.

O lançamento está marcado para o próximo dia 27, porém aqui no Brasil ainda não há notícias se a editora ROCCO, que possui os direitos da série no país irá disponibilizar essa nova versão.

Abaixo o resultado do trabalho de Kazu Kibuishi, a minha preferida é a capa do quinto livro (Harry Potter e a ordem da Fênix) que na versão clássica tem uma ilustração que considero meio sem graça.

Harry Potter - Livro 1 - Edição Comemorativa

Harry Potter - Livro 2 e 3 - Edição Comemorativa

Harry Potter - Livro 4 e 5 - Edição Comemorativa

Harry Potter - Livro 6 e 7 - Edição Comemorativa

A versão clássica das capas lançadas no Reino Unido, Austrália e Canadá além de terem versões distintas para adultos e crianças foram feitas por diversos artistas. Abaixo as imagens da coleção infantil que tiveram como ilustradores Thomas Taylor em “Harry Potter and the Philosopher’s Stone”, Cliff Wright para os dois livros seguintes “Harry Potter and the Chamber of Secrets” e “Harry Potter and the Prisoner of Azkaban”, Giles Greenfield para “Harry Potter and the Goblet of Fire” e Jason Cockcroft responsável pelas trê ultimas obras da série “Harry Potter and the Order of the Phoenix”, “Harry Potter and the Half-Blood Prince” e “Harry Potter and the Deathly Hallows”.

Harry Potter - Livro 1 - UK Canada Austrália

Harry Potter - Livro 2 e 3 - UK Canada Austrália

Harry Potter - Livro 4 e 5 - UK Canada Austrália

Harry Potter - Livro 6 e 7 - UK Canada Austrália

E por fim, as capas que os brasileiros tanto conhecem. Essa versão que é a mesma lançada nos Estados Unidos foi criada pela artista Mary GrandPre! Depois de tantas ilustrações impossível não dar vontade de ir correndo reler os livros que marcaram minha infância/adolescência e que eu amo até hoje ♥

Harry Potter - Livro 1 - Brasil EUA

Harry Potter - Livro 2 e 3 - Brasil EUA

Harry Potter - Livro 4 e 5 - Brasil EUA

Harry Potter - Livro 6 e 7- Brasil EUA


IlustracoesHarryPotter-ColorindoNuvens

Quando comecei a ler o primeiro livro da saga Harry Potter sem ter assistido ao filme que já estava em sua fase de lançamento em fita de vídeo, não havia anteriormente tido nenhuma referencia sobre a saga, dessa forma as ilustrações contidas na capa de Harry Potter e a Pedra Filosofal me ajudaram a ter uma visão melhor desse mundo mágico invisível aos trouxas e até então, desconhecido por mim. Talvez tenha sido esse fato em particular, que me faz observar até hoje cada detalhe das ilustrações de livros com capas realmente interessantes.

Com o aniversário de 15 anos do lançamento do primeiro livro da saga Harry Potter se aproximando foram divulgadas recentemente 16 ilustrações feitas por Mary GrandPre, a mesma artista responsável pela realização das capas oficiais da versão americana e brasileira dos livros.

A artista que tinha acesso às obras antes de qualquer pessoa detinha em mãos a grande responsabilidade de produzir ilustrações com personalidade que possuíssem detalhes relevantes para a história de maneira que os fãs pudessem reconhecê-los. Ela afirmou em entrevista que nunca havia assistido as adaptações para o cinema para evitar que os rostos dos atores a pudesse influenciar.

Relembre então, importantes passagens dessa aventura mágica através dos desenhos que um dia, foram candidatos a estamparem as capas dos livros do bruxinho mais querido da história.

As três primeiras são as minhas preferidas! 😉

Capa alternativa de  Harry Potter

Capa alternativa de  Harry Potter

Capa alternativa de  Harry Potter

Capa alternativa de  Harry Potter 4

Capa alternativa de  Harry Potter 4

Capa alternativa de  Harry Potter 4

Capa alternativa de  Harry Potter 4

Capa alternativa de  Harry Potter 4

Capa alternativa de  Harry Potter 4

Capa alternativa de  Harry Potter 4

Capa alternativa de  Harry Potter 4

Capa alternativa de  Harry Potter 4

Capa alternativa de  Harry Potter 4

Capa alternativa de  Harry Potter 4

Capa alternativa de  Harry Potter 4

Capa alternativa de  Harry Potter 4


Morte Subita-Capa

Lançado em 2010 o novo livro de literatura adulta lançada por J.K. Rowling, “Morte Súbita”, tem como principal foco o tema político. Do ponto de vista literário, a autora conseguiu manter sua característica de escrita bem fluida e simples, conseguindo se desvincular totalmente do universo mágico criado através da obra que a consagrou: Harry Potter.

A autora que até então só havia lançado livros voltados para o publico infanto-juvenil soube ingressar com firmeza no ramo da literatura adulta e nos apresentou a dura realidade de um mundo nada mágico, no confinamento de uma pequena cidade no interior da Inglaterra, onde a vida de seus habitantes se interlaçam de maneira inevitável.

A obra possui um protagonista ausente, Barry Fairbrother. É através de sua morte que uma série de tramóias e intrigas políticas passa a se desenrolar, expondo publicamente os escândalos mais íntimos de seus personagens.

A história se passa em Pagford, um pequeno vilarejo no interior da Inglaterra que passa a ser então, palco de uma disputa política quando a cadeira antes ocupada por Fairbrother, fica vaga após seu falecimento.

O principal desafio era entrar em um acordo a respeito de Fields, um antigo loteamento que se transformou no bairro mais pobre entre as cidades de Pagford e Yarvil o que acabou desencadeando grande insatisfação entre as duas cidades vizinhas ao novo bairro, que não estavam dispostas a assumir os gastos gerados por sua população considerada “inferior”.

Quando os pró-Fields perdem seu principal representante no conselho municipal Barry Fairbrother, inicia-se uma corrida para eleger um representante a altura, enquanto o lado mais conservador, liderados por Howard Mollison vê uma importante oportunidade de delegar a Yarvil todas as responsabilidades com o bairro decadente.

As outras histórias ocorrem em paralelo com as questões políticas, mas em algum momento se chocam, mesmo que o encontro seja através de uma notícia divulgada na internet ou uma fofoca que corre pelas casinhas pomposas de Pagford.

A trama concentra-se na trajetória de algumas famílias. Podemos citar a médica Parminder Jawanda uma das principais aliadas de Fairbrother no conselho municipal e sua filha disléxica Sukhvinder, que sofre com as constantes humilhações cruéis de “Bola” Wall, o filho rebelde de Tessa e “Pombinho” Wall, funcionários do principal colégio da cidade. Ainda no núcleo adolescente temos a presença Gaia Bawden, a bela garota Londrina que não se conforma por ter largado uma vida agitada para ir viver em uma cidade com tão poucos atrativos aos jovens, fato que torna delicada a sua já desgastada relação com sua mãe, a assistente social Kay Bawden que fixou-se na cidade com a esperança de estabelecer uma relacionamento estável com Gavin, advogado e sócio de Miles Mollison que é casado com a instável empresária Samantha e filho de um dos casais mais antigos e orgulhosos de Pagford, Howard e Shirley Mollison.

Ainda encontramos a atitude oportunista de Simon Price no ramo político, que poderia expor a relação de ódio e violência contra a esposa Ruth, e os filhos Paul e Andrew Price. E finalmente, temos a problemática Kristal Weedon que reflete seu comportamento inadequado e promiscuo, a sua conturbada relação com a mãe viciada em drogas, um retrato fiel da realidade de Fields.

Essa imensa rede de histórias interligadas, nos apresentou os diversos ângulos de um mesmo acontecimento, expondo diferentes pontos de vista e o impacto na vida dos personagens de acordo com o seu grau de envolvimento com o ocorrido, essa característica atribuiu a “Morte Súbita” uma semelhança muito grande a um roteiro de novela, a trama demora a se desenvolver e não há um clímax definido tampouco personagens que possam nos causar verdadeira empatia por sua personalidade ou conduta.

Rowling tornou seus personagens extremamente humanizados, não há quem seja mal ou bom por completo. São levantados diversos temas polêmicos e abordagens sentimentais que vão do amor ao ódio, da culpa a absolvição.

Achei interessante o modo como a autora conseguiu ligar naturalmente tantas histórias distintas, porém, a grande questão fica por conta do real motivo de inserir uma quantidade tão grande de personagens se suas histórias são pouco desenvolvidas. A ausência de um protagonista marcante, ou de algum personagem que se destacasse dos demais e nos fizesse torcer, vibrar e nos envolver com seus feitos tornou a narrativa morna, arrastada e sem perspectiva de grandes reviravoltas.

Em “Morte súbita” nada muda, a sociedade é muito corrompida para melhorar em qualquer aspecto e o sentimento de pessimismo é o que prevaleceu após a leitura de suas últimas palavras.