Livros, Filmes e Nerdices aleatórias

Arquivo da tag: J.R.R. Tolkien

Hobbit_Batalha_Cinco_Exércitos_ColorindoNuvens_Banner

Em um longínquo domingo fui ao cinema assistir A Batalha dos Cinco Exércitos, filme que conclui a trilogia do Hobbit. Dessa vez, as minhas expectativas estavam bem baixas, apenas gostaria de saber como a história iria terminar, já que a meu ver, pouco conteúdo sobrou para a terceira etapa dessa aventura.

A minha maior curiosidade era justamente entender como Peter Jackson conseguiria encontrar uma maneira inteligente de amarrar todas as pontas soltas do enredo. O fato da jornada de Bilbo e da comitiva de anões ter se tornado uma trilogia nunca me incomodou. O livro de Tolkien, ao qual a história se baseia, tem uma escrita simples de aspecto infantil e para torná-la um blockbuster seria necessário algo a mais.

Inicialmente achei bem interessante tentar inserir outros personagens do vasto universo criado por Tolkien e a escolha de três filmes seria justificada (tirando o interesse financeiro) se houvesse história suficiente para as três produções, mas infelizmente cheguei a triste conclusão de que essa ideia era extremamente equivocada.

VamosAoCinema-Hobbit3-ColorindoNuvensBilbo, Gandalf e os anões

O Hobbit – A Batalha dos Cinco Exércitos foi uma conclusão decepcionante, de uma sequência de filmes que me agradaram muito. A frustração que sinto no momento, no entanto, não é capaz de ofuscar o brilho de O Hobbit – Uma Jornada Inesperada e O Hobbit – A desolação de Smaug, filmes que entraram para lista dos meus favoritos!

A terceira e última etapa dessa jornada iniciou-se com cenas de ação muito boas, nas quais, Smaug mostra a sua fúria derramando as suas chamas sobre a cidade do lago. Pela rapidez com que tudo se conclui, a meu ver, esse desfecho se tornaria muito mais impactante se tivesse sido exibido no final de A desolação de Smaug, mas esse nem de perto, foi um dos maiores furos da produção.

VamosAoCinema-Hobbit3-ColorindoNuvensO exército de elfos liderados por Thranduil

Como o próprio nome diz, o foco principal do filme foi a batalha dos cinco exércitos. Por um lado tínhamos Bard (Luke Evans) e os homens da cidade do lago se dirigindo até a montanha em busca de recursos para reconstruir as suas casas. Thranduil (Lee Pace) e os elfos da floresta buscando recuperar as antigas joias de seu povo, Dain (John Bell) e seus 500 Anões indo em auxilio a Thorin (Richard Armitage) e o exército de Orcs e Wargs liderados separadamente por Azog (Manu Bennett) e Bolg (John Tui).

Thorin, passa a maior parte do tempo mergulhado na sua obsessão dourada, sucumbindo a loucura de ter todo o ouro da montanha só para si, nem que para isso precisasse desencadear uma guerra. Já o pobre Bilbo (Martin Freeman), responsável por uma das ações mais importantes dessa história, fica completamente esquecido, praticamente perdendo o seu posto como protagonista. Gandalf (Ian McKellen) também é acometido desse mesmo mal, e depois de estar fragilizado pela rápida batalha com o Sauron, nem aparenta ser a sombra do grande Mago que sempre fora.

As ações heroicas, no entanto, ficam por conta do jovem Legolas (Orlando Bloom) capaz de realizar as maiores estripulias acrobáticas em cenas que chegam a causar risos pelo seu exagero e forçação de barra. Nada simplesmente convence, ou é feito de maneira exagerada demais, ou jogado de qualquer jeito na história, como quando alguém quer se livrar de algo a qualquer custo e o mais rápido que puder.

VamosAoCinema-Hobbit3-ColorindoNuvensO exército de Orc liderados por Azog

A trama perde o ritmo em diversos momentos, ora por dar importância injustificada a personagens completamente descartáveis, como o caso de Alfrid (Ryan Gage), responsável pela tentativa fracassada de inserir cenas de humor. Ou pelos 50 longos minutos de batalhas incessantes que exagera em inserir até mesmo, vermes gigantes que seriam capazes de acabar com toda a guerra em poucos instantes mas que pouco acrescentam a luta.

Há quem tenha adorado o filme, mas para mim, esse foi sem dúvida, o mais fraco dos três. É estranho a gente ficar meio triste por algo que, tecnicamente, não vai mudar em nada a nossa vida mas é inevitável não se decepcionar quando sabemos que a história poderia ter potencial para se tornar boa!

Espero ter apresentado todos os argumentos que justifiquem a minha opinião. E vocês? O que acharam? Tem alguma dica a dar para o Peter Jackson? Rs


Hobbit-LEGO

Na Comic-Con San Diego 2014, a LEGO revelou o novo Set baseado na trilogia do Hobbit.

Sempre que possível eu posto aqui no blog algumas novidades da LEGO, embora, ache os preços dos kits completos bem salgados principalmente quando convertidos em real.

Mas, apreciar as novidades não custa nada, não é mesmo? E nesse post irei mostrar para vocês o cenário intitulado “Hobbit – The Lonely Mountain”. Além da figura do próprio Bilbo, encontramos a miniatura do Smaug e o seu tão cobiçado tesouro e para completar a coleção, os anões Ori, Glóin, Dwalin e Balin são as outras mini figuras desse kit.

O Set possui um total de 866 bloquinhos para montar, além de algumas ferramentas e objetos como fornalha, esteira de transporte, itens de mineração, caldeirão e tochas com chamas translúcidas. O que mais chama a atenção é com certeza a presença marcante do dragão Smaug, que possui garras, escamas e articulações. Outro detalhe importante é a pedra Arken ,que está nas mãos do Bilbo em uma das fotos de divulgação.

As imagens me agradam bastante principalmente com a montagem dos cenários de modo mais realista. Também vale a pena conferir o vídeo, a LEGO fez uma montagem utilizando parte dos cenários de seu novo set, porém, a aventura vai além, e passa por diversos cenários já lançados em outros kits como a floresta negra, cidade do lago, contando até mesmo, com a presença do Necromante e do Orc Azog. O grande foco do vídeo é mostrar uma divertida perseguição entre Smaug e Bilbo que percorre toda terra média para fugir da fúria do dragão!

The Hobbit – The Lonely Mountain entrará em pré-venda na LEGO Shop US entre outubro e novembro com o preço de US$129,99.

Lego -The HobbitThe Lonely Mountain

Bilbo and Smaug mini figs

Hobbit mini figs LEGO


Hobbit - Batalha dos cinco exércitos

Ainda estamos em julho, mas a expectativa para ver a finalização da jornada de Bilbo Bolseiro é crescente. O filme irá estrear no dia 11 de dezembro (2014) e para matar um pouquinho da nossa curiosidade ontem (28/07) a Warner divulgou o primeiro trailer da produção que já possui mais de quatro milhões de visualizações!

Antes chamado de “O Hobbit – Lá e de volta outra vez” título que me agradava bastante, em abril Peter Jackson anunciou a mudança do nome do terceiro filme da série para “O Hobbit – Batalha dos cincos exércitos”. Com essa atitude e até mesmo analisando as cenas do trailer podemos perceber que a terceira parte dessa história terá seu foco na batalha entre Homens, Elfos, Anões, Orcs e Wargs.

A história irá finalizar a aventura de Bilbo Bolseiro e da companhia de anões que conseguiram reconquistar a sua terra natal da posse do Dragão Smaug, a fera por sua vez, seguiu rumo a cidade do lago com objetivo de derramar toda a sua fúria sobre a aldeia até deixá-la completamente em chamas.

Obcecado Thorin deixa-se cegar pelo brilho do tesouro reconquistado e Bilbo tenta incessantemente fazê-lo voltar a razão. Longe dos olhos de todos, Sauron reúne legiões de Orcs para realizar um ataque surpresa a montanha Solitária. Enquanto a escuridão converge em conflitos crescentes, a raça dos Anões, Elfos, e Homens devem decidir – se unir ou serem destruídos.

Essa última etapa promete ser uma conclusão épica para a história que nos empolgou tanto no livro, com seu ar mais inocente e infantil, quanto na adaptação que de certa forma, preservou as principais características da jornada e adicionou novos elementos que a fizeram tornar uma história “de gente grande”.

Na ComicCon deste ano que contou com a presença do Peter Jackson e parte do elenco do Hobbit foram divulgadas algumas imagens da produção, assim como o belíssimo pôster oficial!

poster hobbit 3


Lego O Hobbit: Lake-town Chase

O Hobbit – Lake-town Chase é o cenário da coleção de Lego baseados no Hobbit que ilustra a passagem dos anões e de Bilbo Bolseiro pela cidade do Lago.

Depois de passarem por maus bocados encarando uma verdadeira perseguição de Orcs logo após terem escapado do reino dos elfos, a comitiva enfrentava um novo problema pela frente: Arrumar uma maneira de atravessar a cidade do Lago clandestinamente. Para essa tarefa eles contrataram Bard, personagem que terá grande importância no próximo filme da trilogia.

O kit é bem completo e vem com duas construções da cidade. Achei super legal a miniatura de lamparina além dos detalhes do andar superior da casinha.

Além disso, são incluídos também o barquinho utilizado para transportar os anões e diversas armas como a Ferroada, espada élfica pertencente a Bilbo Bolseiro, duas espadas longas, duas espadas curtas, uma maça e até o arco e flecha que será usado por Bard na batalha contra o Dragão Smaug.

ego O Hobbit: Lake-town ChaseO Hobbit – Lake-town Chase

ego O Hobbit: Lake-town Chase

As miniaturas que completam o kit representam Thorin, Escudo de Carvalho, Bard, Bilbo Bolseiro, um guarda e o rei da Cidade do Lago, abaixo algumas delas em destaque!

Lake-town Chase / Personagens

1. Bard
2. Rei da Cidade do Lago
3. Bilbo Bolseiro

O Hobbit – Lake-town Chase possui ao todo 470 peças e pode ser adquirido na LEGO Shop US por $49,00!


Lego- Hobbit- Dol Guldur Battle

A LEGO aumentou a coleção de sets baseados nos filmes do Hobbit. Os cenários escolhidos fazem parte do segundo filme da trilogia e ganharam o nome de Hobbit: Dol Guldur Battle, Hobbit: Mirkwood Elf Army, Hobbit: Lake town Chase e Hobbit: Dol Guldur Ambush.

Aos poucos irei falar de toda a coleção aqui no blog, para esse primeiro post os sets escolhidos envolvem os principais acontecimentos nas ruínas de Dol Guldur que foi o plot da participação dos magos Gandalf e Radagast.

No filme Gandalf tratava de seus assuntos paralelos, investigando a ascensão do Necromante enquanto os anões seguiam viagem se embrenhando na floresta negra. Essa passagem, que não faz parte da história original do livro, rendeu cenas de ação empolgantes e de qualidade.

O que eu mais gosto de observar nos sets são os detalhes das miniaturas e os objetos que o acompanham. Em The Hobbit – Dol Guldur Battle destaco o anel do Mago, uma armadilha com caveira e claro as miniaturas de Ganfalf, o cinzento; Radagast, o marrom, o Orc Azog, e o Necromante.

personagens Hobbit-Lego

1. Radagast, o marrom.
2. Orc Azog.
3. Ganfalf, o cinzento.
4. Necromante.

Esse é o cenário mais completo desses novos lançamentos possuindo 797 peças que o permite montar as ruínas incluindo muro mágico, teias de aranha, catapultas e estátua com compartimento secreto para o anel do Mago. O kit custa US$69,99 na LEGO Shop US.

Lego1

The Hobbit – Dol Guldur Ambush é bem mais simples que o anterior e retrata a participação de Beorn. No filme o transmorfo ofereceu abrigo a comitiva de anões e emprestou seus pôneis para ajudá-los a chegar até a floresta negra.

O kit tem como principal atrativo a miniatura de Beorn em sua forma humana, além de dois orcs vestidos com armadura exclusiva, catapulta, armas sortidas e o legal é que pode ser montada em conjunto com The Hobbit – Dol Guldur Battle.

O set é composto por 217 peças e está a venda na LEGO Shop US por $19.99.

Miniaturas lego - O hobbit


13 anões do Hobbit

Se você assim como eu, mesmo depois de ter assistido O Hobbit – A Desolação de Smaug, ainda não conseguiu decorar os nomes de todos os 13 anões que fazem parte dessa épica e empolgante aventura ao lado de Bilbo Bolseiro, uma ‘colinha’ super legal vai te ajudar a identificar cada um deles de acordo com suas características mais marcantes.

A imagem, criada pelo site Lotrproject dedicado a publicar uma série material interativo sobre a Terra Média, é basicamente um esquema que consegue por eliminação, chegar ao anão que corresponde as características apresentadas.

Para te ajudar a iniciar esse “estudo avançado sobre os anões” Confira a imagem, (tentei traduzir da melhor maneira possível)!

Como identificar os anões do Hobbit

Os atores que deram vida aos 13 anões tiveram que passar por um longo processo de transformação para adquirirem a aparência de seus personagens. Peter Jackson conseguiu dar mais personalidade aos anões de Erabor conferindo a cada um deles características únicas.

Apesar de nem todos eles, terem ficado necessariamente com cara de anão, eu gostei das modificações. Era preciso dar um aspecto mais realista que condissesse com o estilo da adaptação.

Abaixo um dos pôster de divulgação do primeiro filme da trilogia que reúne o líder Thorin e os outros 12 anões da companhia.

All-Dwarves


O Hobbit - A desolação de Smaug - Poster

O Hobbit – A Desolação de Smaug, segundo filme da adaptação da aclamada obra de J. R. R. Tolkien dá continuidade a jornada de Bilbo Bolseiro, Gandalf e dos 12 anões liderados por Thorin Escudo de Carvalho, até a Montanha Solitária, o reino dos anões tomado pelo terrível dragão Smaug.

Após serem resgatados pelas águias, os aventureiros continuam sua viagem pela Terra Média buscando uma maneira de chegar até o seu destino a tempo de presenciar a última luz do dia de Durin e encontrar a fechadura da porta do reino de Erabor que dá acesso a montanha e a todo tesouro que lá se encontra sob a guarda de Smaug.

Dando sequencia as perseguições de centenas de Orcs, a companhia se refugia na propriedade de Beorn um transmorfo capaz de assumir a forma de um gigantesco urso preto. A passagem porém, não se estende por muito tempo e logo, os anões e Bilbo Bolseiro seguem para a floresta negra, enquanto em paralelo, Gandalf com a ajuda de Radagast vão investigar os planos do maligno necromante.

O hobbit - anões nos barrisOs anões nos barris

A partir de então, Peter Jackson, insere bastante ação aos acontecimentos. O encontro com as aranhas da floresta, seguido da tensão gerada entre os Elfos e os anões são tomadas bem construídas que confere um clima entusiasmante ao filme.

A adaptação inseriu várias histórias paralelas que conseguiram ser bem desenvolvidas e exploradas. Devo destacar o encontro de Gandalf com o poder do necromante que se revela pela primeira vez como Sauron, e a atuação de Bilbo Bolseiro quando esse se depara com Smaug, cena que rende momentos de muita tensão.

The desolation of-smaug - Bilbo BolseiroO encontro de Bilbo com Smaug

A abordagem da história, como o esperado, foi diferente da obra original de Tokien, porém, no contexto e na proposta da adaptação foi realmente excepcional a maneira com que todos os elementos do filme foram tratados deixando pontas soltas para a conclusão da trama que acontecerá em O Hobbit – Lá e de volta outra vez, o terceiro e último episódio da jornada que tem data prevista de estreia somente para 19 de dezembro de 2014.

The desolation of-smaug - Bilbo BolseiroGandalf, o Cinzento a procura do Necromante

A aventura torna-se ainda mais épica vista em 48 frames por segundo o que foge do padrão cinematográfico que em média é de 20 a 24 frames. A tecnologia que foi amplamente comentada e discutida nos últimos tempos gerando bastante polêmica e diferentes opiniões é capaz de proporcionar uma experiencia única com o realismo absurdo em cada cena. Difícil dizer quais dos dois filmes é o melhor, mas uma coisa é certa, estarei aguardando ansiosamente para conferir a conclusão da aventura!


TrailerHobbitLego-ColorindoNuvens

Recentemente um dos filmes mais aguardados de 2013, O Hobbit- A Desolação de Smaug ganhou trailer animado com bonecos de LEGO. A produção que foi realizada em Stop Motion pelo grupo de artistas Brotherhood Workshop, demorou cerca de 2 meses para ser concluída e o resultado final, é bem legal!

O vídeo animado conseguiu se manter fiel ao trailer original e possui cenários bem ricos e detalhados. O grupo ainda disponibilizou outro vídeo onde podemos comparar as duas versões e posso garantir que a adaptação em brinquedos é praticamente o espelho da original.

Achei super interessante essa iniciativa criativa que esses artistas tiveram e mal posso imaginar o trabalho que deve ter dado, porém o esforço valeu a pena e o vídeo já ganhou mais de 800 mil visualizações.

A coleção LEGO O Hobbit- A Desolação de Smaug ainda não tem data de lançamento, mas é certeza que antes de novembro ela não chegará as lojas. Na Comic Con desse ano foi divulgada a primeira imagem do Set que será chamado de “Lake Town Chase” contará com 334 peças, além das miniaturas de Bilbo e Torin.

Clique na imagem para ampliar!

Lake Town Chase - O Hobbit

Abaixo os vídeos comentados no post, vale a pena conferir! 😀

Versão Original e a animação lado a lado!


Lego - Um encontro Inesperado

Colecionar legos deixou de ser coisa de criança faz tempo. A linha de brinquedos que já lançou produtos inspirados em Star Wars, Piratas do Caribe e Harry Potter agora tem uma linha bem legal de “O Hobbit”.

Os cenários são bem completos e cheios de detalhes que permitem a remontagem de cenas importantes dos filmes. Até o momento a empresa já disponibiliza 8 produtos inspirado na aventura de Bilbo Bolseiro, mas outros produtos serão lançados a medida que os filmes chegarem aos cinemas.

A passagem do livro que eu acho mais engraçadinha é a chegada dos anões até o Condado, quando um anão após outro com suas capas coloridas iam se acomodando e usufruindo das comodidades da toca do Bilbo enquanto esse, não sabia como agir diante de tantos convidados inesperados.

O set que tem o nome de “An Unexpected Gathering” (Um Encontro Inesperado) foi inspirado justamente nessa cena e é o meu preferido de toda coleção.

A toca do Bilbo tem uma estrutura super legal por fora, com direito a um jardim bem cuidado e as clássicas portas e janelas arredondadas. Já no seu interior podemos encontrar alguns móveis e muitos detalhes super fofos que variam desde mapas da Terra Média, utensílios domésticos e é claro, muitos alimentos para a farta refeição servida aos anões.

Lego - Um encontro Inesperado - Bilbo e Gandalf

Lego - Um encontro Inesperado (Interior)

Lego - Um encontro Inesperado - Anões

Esse cenário custa $69.99 e possui 652 peças, incluindo as miniaturas de Bilbo, Gandalf e dos anões Balin, Dwalin, Bombur e Bofur. Para visualizar a coleção completa acesse o site oficial da Lego. 😉


The Hobbit-An Unexpected Journey

A perspectiva de dividir a história de O Hobbit em três partes era um assunto frequentemente levantado pelos admiradores da obra de Tolkien. Adaptações sempre são necessárias quando uma obra literária vai parar nos cinemas e por vezes o estrago que isso causa a própria essência da história é imperdoável e por que não, revoltante.

Peter Jackson que já tinha adaptado com grande sucesso e qualidade a trilogia dos Senhor dos Anéis anos antes tinha pela frente um desafio especial de tornar O Hobbit uma obra inesquecível como fora seus feitos anteriores.

Em meio a muitas opiniões nem tão positivas dos críticos da sétima arte, eu como mera espectadora sai da sessão de cinema completamente satisfeita e perplexa com a qualidade de The Hobbit: An Unexpected Journey e posso afirmar sem sombra de dúvida que a aventura do Sr. Bilbo Bolseiro não poderia ter tido melhor adaptação.

Sr. Bolseiro e Gandalf

Bilbo Bolseiro e Gandalf em uma das cenas iniciais.

Alguns fatos que ficavam apenas subentendidos na narrativa de Tolkien foram incluídos mas só veio a engrandecer a história sendo totalmente aceitáveis. Personagens que foram apenas brevemente citados, ou que só foram descritos em obras póstumas ganharam seu espaço, como por exemplo o mago Radagast-O Castanho, o Necromante e o principal vilão: O Orc Azog. Sua presença e a dos terríveis Wargs trouxeram o horror a tela de cinema. As batalhas que ocorrem são épicas incluindo o envolvimento pessoal do líder dos Orcs com a linhagem de Thorin, passagem que pode ser encontrada no livro Contos Inacabado de Tolkien e que foi muito bem inserido no contexto de O Hobbit, porém a produção teve o cuidado de preservar grande parte da obra original, vários diálogos foram transcritos fielmente e nenhum fato foi simplesmente ignorado o que pode ter interferido em alguns momentos na dinamicidade da história porém em balanço com as tomadas de ação de tirar o fôlego o resultado foi uma sintonia perfeita.

As ramificações criadas para a história foram muito bem amarradas a trama principal e a tornaram mais sombria. O Hobbit é um conto com carácter extremamente inocente, e a dosagem de dramaticidade e tensão agregada só a tornou mais grandiosa e necessária para a produção de um filme com a qualidade apresentada.

The Hobbit: An Unexpected Journey

A expedição de Anões.

A fotografia foi um espetáculo a parte. Pudemos rever cenários bem conhecidos como a delicadeza do próprio condado, um dos meus cenários favoritos ou conhecer a grandiosa Erebor, a cidade dos anões. A trilha sonora também merece destaque já que foi capaz de transformar as simples canções do livro em uma produção musical de tão boa qualidade.

Muito se falou da nova tecnologia de exibição em 48 quadros por segundo o dobro do que temos atualmente que consistem em 24 fps. São poucos os cinemas no país com capacidade de suportar a tecnologia e o que eu fui, não era um deles. Os efeitos 3D porém, apresentaram-se com qualidade superior ao que normalmente encontramos. O visual estava muito natural, sem aqueles habituais objetos voando para o rosto dos expectadores mas sim direcionados a dar profundidade as cenas de cenários muito vastos e trabalhados. O cuidado com a ambientação associado a alta tecnologia que hoje o cinema dispõe foi capaz de promover uma absorção praticamente completa dos espectadores que facilmente viam-se participando da aventura de personagens carismáticos e marcantes.

The Hobbit- Movies RivendellA Grandiosa Rivendell

Cada detalhe contribuiu de maneira positiva para tornar “O Hobbit- Uma jornada Inesperada” em uma das melhores produções dos últimos tempos. Sem mais a dizer, simplesmente Épico!

Participação especial de Renato Shinsei (LabRPG!)

Esperava ansioso pelo retorno cinematográfico da terra média as telonas. Porém, a cada dia depois da primeira cabine de impressa, as notícias de que o filme era fraco se tornavam mais populosas.
Ao assistir a obra, pude reparar no esmero que Peter Jackson teve, em cada cena e linha de diálogo tornando o filme compreensível para quem não conhece a obra, e cheio de pequenos detalhes que os fãs mais ávidos possam reconhecer passagens do livro e de anotações do próprio Tolkien.
Ainda trabalhando com esta dualidade, percebemos que PJ teve trabalho em tornar uma leitura infantil, em algo mais sério, e sem dúvida foi reconfortante ver que o teor cômico da história foi resignado à apenas alguns pontos da trama sem estragar o clima.
Que venha A Desolação de Smaug!