Livros, Filmes e Nerdices aleatórias

Arquivo da tag: Marvel

Arte conceitual - Big hero 6

A Disney divulgou recentemente um trailer super fofo da sua nova animação. Big Hero 6 ou aqui no Brasil Operação Big Hero 6 é um longa metragem animado inspirado na história de um sub grupo de heróis japoneses da Marvel.

A trama contará a trajetória de Hiro Hamada um garoto que vive na cidade futurística de San Fransokyo (Uma mistura de San Francisco com Tókio) e é um verdadeiro prodígio em robótica.

Uma série de eventos catastróficos colocam Hiro e o seu robô BayMax no centro de um grande mistério e para combater o mal os personagens resolvem se juntar a um grupo de heróis de alta tecnologia cujo integrantes são Fred, Go Go Tomago, Wasabi e Honey Lemon.

Nos quadrinhos os heróis tiveram a sua primeira aparição em 1998 no volume intitulado Sunfire and Big Hero 6 Vol. 1 de autoria de Steven T. Seagle e Duncun Rouleau. Já na adaptação algumas mudanças foram realizadas para deixar a história mais infantil.

O filme tem previsão de estreia para Dezembro desde ano (2014) e contará com a direção de Chris Williams de “Bolt – Supercão” e Don Hall de “O Ursinho Pooh”.

Abaixo o primeiro trailer completo da animação que mostra algumas passagens divertidas do filme. Eu achei bem legal a aparência dos personagens, principalmente a característica volumosa e inflável do gigante BayMax. Confira abaixo o vídeo e algumas artes conceituais da produção!

Arte conceitual - Big hero 6

Concept-art big hero 6

Arte conceitual - Big hero 6

Trailer dublado oficial! 😉


O Espetacular Homem Aranha 2 - Poster

Semanas atrás, quando pude ter um final de semana de folga das responsabilidades da faculdade, fui ao cinema assistir a sequencia da nova franquia do Homem Aranha. O filme dirigido por Marc Webb, é o segundo episódio da história de Peter Parker que “recomeçou do zero” em 2012, escalando Andrew Garfield como protagonista.

Desde o primeiro filme, já foi possível perceber uma grande diferença do conhecido Peter Parker vivido por Tobey Maguire, que ao longo de vários anos, despertou o amor ou o ódio dos espectadores. No contexto da minha vida, a trilogia original do Homem Aranha, com o Peter Parker com aquela cara de bobo que o Tobey Maguire sabia fazer tão bem, foi o super herói que eu conheci e me acostumei. Eu nunca acompanhei os quadrinhos, a lealdade ou não com a obra original não poderia me incomodar em nenhum aspecto, sendo assim, a história de um super herói realizada com grande qualidade para época e com efeitos especiais que me surpreenderam, não poderia deixar de marcar a minha adolescência e tornar a tarefa de aceitar esse Homem aranha mais moderninho e serelepe um processo um pouco mais complicado.

Homem aranha 2A luta contra Electro

Deixando de lado todos os meus pré-conceitos, O Espetacular Homem Aranha – A Ameaça Electro, chega as telonas repleto de drama, romance e um pouco de ação. A história tem o seu principal foco no relacionamento de Peter Parker e Gwen Stacy (Emma Stone). Electro (Jamie Foxx), Duende Verde (Dane DeHaan) e Rhino (Paul Giamatt), os três vilões do filme, foram limitados a um papel de pouco destaque em meio a um enredo que não mediu esforços para reforçar o clima de romance e preparar o terreno para o grande e prometido desfecho do casal.

Electro, o vilão destacado no título do filme é Max Dillon funcionário das indústrias OsCorp que possuiu o estereótipo do típico loser, sem vida social ou reconhecimento de seus esforços. O personagem adquire o poder de manipular a eletricidade após sofrer um acidente de trabalho e em meio a uma crise grave de personalidade muda totalmente o seu comportamento para vir a se tornar o primeiro vilão dessa história, mas pouco convence.

Homem aranha - Gwen StacyGwen Stacy na torre do relógio

As cenas de ação acontecem de forma aleatória e não possuem especificamente um plot que irá te deixar com o coração na mão esperando a grande atuação do herói para salvar a cidade com seus super poderes e força de vontade. Pelo menos, é sempre isso que eu espero em um filme desse gênero. Dessa vez porém, o rumo da história correu justamente para o lado oposto e houve um exagero de melodrama e as típicas e previsíveis ações de uma boa comédia romântica.

Ao que tudo indica, o próximo filme da quadrilogia, com estreia prevista para 2016, será focado na recuperação de Peter Parker. Já o desfecho da história acontecerá somente em 2018 e não contará com a direção de Marc Webb.


Capitão America - O Soldado Invernal

No feriado passado fui ao cinema com o namorado e um casal de amigos pra assistir Capitão América – O Soldado Invernal. A produção mostrou-se um dos filmes mais interessantes do Universo Marvel e impressionou eu vários aspectos mas principalmente, por ter uma trama bem desenvolvida e ser extremamente empolgante.

A história passa-se dois anos após os acontecimentos de “Os Vingadores”. Nele, encontramos Steve Rogers (Chris Evans) dando continuidade com a sua participação na S.H.I.E.L.D. e tentando se adequar a vida nos dias atuais. Estando décadas a frente do seu tempo o herói depare-se frequentemente com lembranças do passado mas diferente do primeiro filme da franquia, o Capitão America não resume-se apenas ao símbolo do patriotismo norte americano, o grande plot da história é a rede de intrigas que envolve a H.I.D.R.A e a S.H.I.E.L.D.

Soldado InvernalO Soldado Invernal e seu semblante melancólico 

O Antagonista da vez é o Soldado Invernal vivido por Sebastian Stan, logo descobrimos a existência de um jogo de manipulações e interesses que o torna mais uma vítima dos acontecimentos do que um vilão propriamente dito. De qualquer forma, as cenas de ações envolvendo o personagem são realmente boas, mas o foco do trama foi desenvolver uma história mais profunda, que levou seus espectadores a refletir e se envolver no mistério e nas investigações.

O filme é mais sombrio que o usualmente demonstrado pelas produções Marvel. O humor foi empregado com cuidado e nos momentos certos, o que contribuiu positivamente em muitos aspectos. Sobretudo no último filme do Homem de Ferro, o humor desmedido foi capaz de destruir grande parte da credibilidade da produção e adicioná-lo ao time das obras de grande potencial transformado em simples galhofa.

Capitão America e Viúva NegraCapitão América e Viúva Negra

Outros personagens também tiveram participação importante na trama como o Falcão (Anthony Mackie), herói secundário nas HQs da Marvel e a Viúva Negra (Scarlett Johanson) que ajudou na iniciativa dos Vingadores em 2012.

Estabelecendo um Ranking dos meus filmes preferidos de super heróis O Capitão America – O Soldado Invernal fica atrás apenas de Os Vingadores e encara uma competição acirradíssima com o primeiro Homem de Ferro. Esse é um filme que realmente vale o seu ingresso ao cinema e acredito que não irá decepcionar mesmo aqueles que acompanham as HQs do herói.


O Maravilhoso Mágico de OZ - Capa

Em abril a Panini Books famosa por lançar HQs de Super Heróis inovou publicando “O Maravilhoso Mágico de OZ” com roteiro de Eric Shanower e a belíssima arte de Skottie Young.

Desde 1900, ano do seu lançamento, a obra de L. Frank Baum está intimamente ligada a cultura norte-americana, sendo o primeiro conto de fadas produzido no país que mesmo sem utilizar elementos do folclore inglês como os elfos e fadas, conquistou grande visibilidade e sucesso entre o público americano, rendendo muitas adaptações para o teatro, cinema e posteriormente, histórias em quadrinhos.

Devido a todas essas releituras vários detalhes da obra original acabaram se perdendo, ou não sendo conhecidos pela grande maioria das pessoas. Buscando resgatar as verdadeiras raízes da aventura da pequena Dorothy na terra do Mágico de OZ, o roteirista Eric Shanower, um fã assumido da obra de Baum, procurou se inspirar, sendo o mais fiel possível a história que deu inicio a tudo.

Na história, a pequena Dorothy vive com seus tios em uma fazenda no Kansas. A vida transcorria calma, até que um tornado atinge a região e antes que pudesse se proteger entrando no porão da propriedade, acaba sendo levada para longe, junto com seu cãozinho Totó, até a Terra de Oz.

A garota não demora a perceber que a região é incomum e que para retornar para casa precisará passar por grandes aventuras. A jornada em busca do poderoso mágico de Oz, único ser capaz de levá-la de volta para seus tios é repleta de imprevistos. Dorothy encontra o Espantalho, o Homem de Lata e até o Leão Covarde, amigos que a acompanharão até a menina encontrar o caminho de casa.

O Maravilhoso Mágico de OZ - Quadrinho

Apesar de não conhecer absolutamente nada sobre a história de Oz antes de ter acesso a esse encadernado, não demorei a ser conquistada pela jornada de Dorothy. Sem conhecer as outras versões da obra não sei até que ponto o roteirista conseguiu êxito no seu propósito de manter a obra o mais original possível a história que rendeu ao longo do tempo tantas adaptações, nem se essas modificações irão desagradar a quem foi fortemente influenciado por outras versões da história, só posso afirmar que criamos uma empatia quase imediata com os personagens que gradativamente vão surgindo e apesar de um roteiro bem simples e até infantil, a história pode perfeitamente agradar aos públicos de todas as idades.

A história progride de maneira bem suave, conseguindo desenvolver os personagens e criar um forte laço entre eles. Aos poucos vemos que as peculiaridades de cada personagem irá contribuir de maneira decisiva para o sucesso da jornada e não deixamos de torcer por eles um minuto sequer.

Os traços de Skottie Young possuem muita personalidade. No material extra contido no encadernado podemos ver o processo criativo aos quais os personagens passaram sendo o maior desafio para o desenhista encontrar sua própria percepção da história diante a tantas versões dos personagens. O resultado final juntamente com as cores de Jean-François Beaulieu é realmente fantástico!

Vencedora do prêmio Eisner! de melhor série limitada e melhor publicação para crianças, “O Maravilhoso Mágico de OZ” é super recomendado para os fãs ou não, da clássica obra de L. Frank Baum, feito “para encantar as crianças de hoje- sejam essas crianças realmente jovens ou simplesmente jovens de coração”.

O Maravilhoso Mágico de OZ - Capa edição 2Capa da 2º Edição 

O encadernado custa aproximadamente R$ 54,00 sendo encontrado nas livrarias físicas ou clicando aqui.


Iron Man 3

Quando nos deparamos com a primeira produção da Marvel após o que considero um dos seus filmes mais fantásticos, Os Vingadores, é normal criarmos grandes expectativas, ainda mais quando se trata de um dos heróis mais interessante e popular da atualidade, o Sr. Tony Stark.

A história que se segue após a batalha travada em Nova York, evidencia muito mais a vida de Tony Stark (Robert Downey Jr.) como ser humano do que do Super Herói da armadura de ferro em si.

Nos deparamos com todos os traumas deixados pela batalha anterior, o que foi capaz de transformar um milionário destemido, a um Super Herói que se sente cada vez mais responsável pela segurança de todos, principalmente das pessoas que são importantes para ele, diante de mais uma grande ameaça que pode ser capaz de destruir tudo o que ele construiu até hoje.

Tony starkTony Stark em um de seus experimentos.

O antagonista da vez é o Mandarin (Ben Kingsley), que passa a executar atentados cruéis contra a população, espalhando um clima de muita tensão e medo de novos ataques terroristas. O Vilão é retratado praticamente como uma espécie de Osama bin Laden, e é evidente a crítica política abordada, em que se discute até mesmo, as causas não comprovadas das guerras travadas recentemente.

Diante dessa atitude corajosa, era de se esperar uma história super bem desenvolvida, a trama poderia render algo grandioso, mas esse novo capítulo na história de Tony Stark tornou-se apenas algo superficial.

As tiradas de humor, nos filmes anteriores muito bem colocadas e sutis, apareceram dessa vez, exageradamente. O clima de tensão e a dramaticidade abordada era frequentemente quebrado por piadas fora de contexto. As recorrentes crises de ansiedade enfrentada pelo protagonista também não eram nem um pouco convincentes, em parte pela atuação exagerada de Robert Downey Jr., ou pela rapidez com que aparecia e a facilidade com que se conseguia livrar-se delas.

mandarimO vilão Mandarim

Pepper Potts (Gwyneth Paltrow) ganhou bastante destaque atuando até mesmo em algumas cenas de ação. É ela quem assume a empresa de Tony Stark enquanto esse se distrai produzindo novas armaduras e sofrendo crises de insônia e estresse pós-traumático. É exatamente o relacionamento com Pepper e as angustias do protagonista que os primeiros atos do filme são reservados. Clima esse que se aproxima do tédio sendo alternado bruscamente quando as batalhas finais são iniciadas.

Homem de Ferro 3 não chega a ser ruim, mas deixou muito a desejar. Talvez a mudança de diretor tenha causado uma perda de identidade, tanto dos personagens que aparecem bem mais caricaturados do que anteriormente, ou com relação à própria trama e seu rumo e ritmo incertos. O episódio por não deixar ganchos para filmes posteriores assim como ocorrem nos outro filmes da Marvel, parece isolado do Universo dos Super Heróis.

Iron manPepper Potts em uma das cenas que faz homenagem a Ayrton Senna, uma vez que Viviane Senna fez gesto semelhante no enterro do irmão.

O desfecho, porém, deixa a questão da continuidade de Robert Downey Jr, como o Homem de Ferro incerta. Aparentemente o ator estaria saindo caro demais aos bolsos da Marvel e entrando ao que tudo indica, numa longa negociação, no entanto, o presidente da Marvel afirmou recentemente que Homem de Ferro 4 sairá com ou sem o ator no papel principal, segundo ele “Não há nenhuma razão para Tony Stark não ser tão duradouro quanto James Bond, Batman ou mesmo Homem-Aranha”.


Até bem pouco tempo atrás, quadrinhos pra mim limitava-se apenas a “Turma da Mônica” e outros títulos semelhantes como por exemplo Luluzinha.

Sendo assim, sempre que posto algo sobre HQs minha opinião é baseada nas percepções de alguém que pouco teve contato com os quadrinhos de Super- Heróis. É verdade que só recentemente fui inserida nesse mundo de aventuras de personagens clássicos e mundialmente famosos, mas devo admitir que estou cada vez mais entusiasmada com a ideia.

Sendo assim, vamos a minha opnião sobre o primeiro volume de Spider Man Noir.

A história possui muita densidade pois relata o Estados Unidos ainda se recuperando do impacto da crise de 1929. Nessa versão, que se passa durante o período da Grande Depressão, Peter Parker é um jovem que ao lado da tia May procura ajudar os cidadãos comuns que estão a margem da sociedade.
Discursos inflamados são ditos a favor dos pobres e isso despertou a atenção de autoridades corruptas, levando ao assassinato do Tio Ben, pelo temível Duende.

A corrupção e a desigualdade social é praticamente o grande foco desse volume e Peter conhece o quanto a sociedade está contaminada, acompanhando Urich em suas coberturas jornalisticas. O jovem ganha poderes de aracnídeo de maneira diferente, envolta por misticismo e dessa vez o personagem também maneja arma de fogo.

A história é muito boa, a trama é envolvente e sombria, sendo violento mas na medida certa.
Eu achei a história super completa, detalhada e bem estruturada, praticamente me senti lendo um roteiro de um filme que possui sua trama muito bem amarrada e desperta a atenção e gera bastante expectativa.

Esse encadernado é uma aventura completa da série Homem Aranha Noir e é distribuída pela Panini Books. 😉


ColecaoHistoricaMarvel-ColorindoNuvens

Embalado pela grande repercussão e sucesso que o filme The avengers vem fazendo, a Marvel lançou uma coleção especial de 4 volumes com publicações de histórias importantes que marcaram a trajetória dos heróis da equipe dos vingadores.

#1º Volume: Capitão América

#2º Volume: Thor

#3º Volume: Homem de Ferro

O quarto volume que ainda não foi lançado será sobre as principais aventuras da equipe dos vingadores.

Essa coleção proporciona uma viagem ao passado dos quadrinhos da Marvel Comics, o que é uma oportunidade bem interessante para contextualizar o leitor iniciante na vida e principais aventuras desses personagens, além de sanar algumas dúvidas e preencher possíveis lacunas deixadas pelo filme.

No terceiro volume que foi dedicado ao homem de ferro, podemos encontrar a Primeira história do personagem intitulada “Nasce o Homem de Ferro” que faz parte do volume de Tales of Suspense, que foi lançado em Março de 1963. Veja o primeiro trecho:

“Contemple sua impressionante chegada! Ouça suas estrondosas passadas à medida que ele avança cada vez mais… pois hoje você está destinado a conhecer…O INVENCÍVEL HOMEM DE FERRO”. 

Eu já havia falado um pouco das origens desse herói (aqui) e até mesmo comentado sobre essa primeira aparição, eu achei bem interessante essa iniciativa da Marvel de relançar esse antigos sucessos e posso dizer que essa coleção possui um conteúdo muito legal pra “fãs iniciantes”.

O leitor também acaba por conhecer o estilo de desenho dos quadrinista de décadas atrás, a evolução dos traços dos personagens, seus figurinos e compará- los a caracterização dos heróis atualmente. Percebemos também o vocabulário popular de antigamente assim como o tom simplista e inocente das histórias.

O encadernado que possui um design bem legal com aspecto envelhecido possui cerca de 165 páginas e pode ser encontrado nas bancas de jornais por R$ 22,90 cada volume. Fica a Dica 😉


A produção The Avengers já vinha sendo anunciada há alguns anos. Desde o lançamento de o
homem de ferro em 2008, já houve algumas pistas de que um filme que reunisse alguns dos
mais famosos heróis da Marvel poderia estar sendo produzido. É interessante que a partir de
então, as histórias dos super heróis sempre tiveram algum tipo de ligação entre si, para que
todos pudessem estar de alguma forma conectado a iniciativa Os vingadores. O filme então é
uma conclusão das histórias dos super heróis que agora finalmente se uniram nessa grandiosa
produção.

Está claro que o mundo Nerd está passando por uma febre de Super Heróis com a estréia de
The Avengers, mas posso dizer com certeza, que o filme não é destinado só para quem é fã dos
quadrinhos da Marvel e acompanha a trajetória dos personagens a muito tempo. Vamos levar
em consideração que a primeira aparição dos Vingadores foi em 1963, por esse motivo, um
dos meus receios era que quem não acompanha os heróis pelas suas histórias nos quadrinhos,
poderia não aproveitar o filme completamente, mas logo de início esse meu receio
foi completamente dissipado. O filme é para todos, desde os mais fãs que leem as histórias há
anos até as pessoas que assistiram apenas aos filmes individuais de cada herói.

A história central á aparentemente simples. O agente da S.H.I.L.D Nick Fury (Samuel El Jackson)
ao perceber que o planeta Terra está prestes a sofrer uma grande ameaça, convoca os heróis
a participarem de um grupo intitulado Os vingadores para que se possa evitar uma invasão ao
planeta.

O vilão da vez é Loki (Tom Hiddleston), irmão de Thor, que volta de Asgard disposto a roubar
o Tesseract, cubo cósmico encontrado junto com o Capitão América. E após realizar tal ato, e
usufruir da inesgotável energia fornecida pelo Tesseract, passa a planejar juntamente com os
extraterrestres: Os Chitari, uma invasão ao planeta terra.

A equipe atual dos vingadores é formada pelo Homem de Ferro (Robert Downey Jr.), Capitão
América (Chris Evans), Hulk (Mark Ruffalo), Thor (Chris Hemsworth), Viúva Negra (Scarlett
Johansson) e Gavião Arqueiro (Jeremy Renner), e o incrível é que todos tiveram importante
participação no decorrer da trama, até mesmo os dois últimos, que não recebem papéis muito
participativos em outros filmes, foram peças fundamentais a história.

As cenas mais descontraídas ocorrem justamente pela união de tantas figuras diferentes. Os
conflitos que ocorrem inicialmente entre os heróis rendem cenas muito engraçadas até por
que acontece aquele choque de culturas, afinal, todos os integrantes da equipe possuem suas
peculiaridades e as diferenças entre eles, são enormes.

O filme consegue esse efeito super legal, de conseguir em pouco mais de duas horas,
transmitir a individualidade de cada herói, mostrando suas características psicológicas,
transmitindo a essência dos personagens e ainda assim, amarrar tudo isso a trama central do
filme, com muita ação e efeitos especiais e sonoplastia, maravilhosos!

Como todo filme de super herói, os efeitos especiais regem as cenas de ações, mas os
personagens estão em equilíbrio com todo o resto, não sendo meramente uma figura apagada
em meio a tantos efeitos. Está tudo em perfeito equilíbrio. Realmente não sei analisar
profundamente os efeitos 3D, mas para mim estavam muito bons.

Eu saí do cinema plenamente satisfeita, com todas as minhas expectativas superadas! Fiquei
muito tempo tentando buscar uma maneira de expressar o que eu senti ao assistir The
Avengers e a resposta mais fiel aos meus sentimentos pode ser resumida em uma expressão
bem popular : O filme é simplesmente foda! É muito bom mesmo, não tem como expressar de
outra maneira

Acho que todo fã da Marvel a uma hora dessas, já deve com certeza ter assistido ao filme, mas
posso afirmar sem medo, que qualquer pessoa pode ir até o cinema e sair de lá muito feliz
com o que acabou de ver. Ah! Não esqueça, é claro, de esperar até o fim dos créditos! 😉

Sem dúvida The avengers é um dos melhores, se não, o melhor filme de Super Herói já
produzido!

Só de ver o trailer já me dá vontade de assistir denovo!!